Regra dos terços: por que essa técnica deixa as fotos incríveis?

Se você gosta de fotografar e já estudou sobre o assunto, para melhorar a qualidade das suas fotos, deve saber que há muitas técnicas e teorias para ajudar, seja o fotógrafo amador ou o profissional, a ter registros de excelência em suas câmeras.

Uma delas é a regra dos terços, que é utilizada para capturar uma imagem esteticamente mais equilibrada e interessante. Se você se interessou em saber mais sobre o assunto, veio ao lugar certo! Nós, do FotoRegistro, vamos explicar para você como funciona essa teoria e como colocá-la em prática nas suas próximas fotos. Vamos lá?

Regra dos terços

É uma técnica usada para revelar pontos de interesse de uma imagem, ou seja, as áreas em que você deve posicionar os elementos mais atraentes da sua imagem para fotografar.

A regra dos terços se caracteriza na divisão da imagem em duas linhas horizontais e duas linhas verticais, em que os quatro pontos de interseção dessas quatro linhas são os pontos onde os nossos olhos têm maior atenção.

Estrela do Mar
Blog Conteúdo Aleatório

A teoria da regra dos terços é muito utilizada por fotógrafos profissionais na hora de captar uma imagem para conseguir um resultado visualmente mais equilibrado e interessante.

A boa notícia é que alguns modelos de câmeras fotográficas e smartphones já vêm atualmente de fábrica com essas linhas no visor para ajudar na hora de fotografar. Trata-se de uma maneira de ver o cenário que deseja fotografar pelo visor da máquina, dividindo-o em três terços verticais e horizontais para obter um total de nove quadrados.

Regra dos Nove Quadrados
iPhoto Channel

Mas, como raramente lembramos ou temos tempo para observar esse detalhe antes de dar o clique, existem alguns programas de edição de fotos que podemos utilizar para tal finalidade, como o Lightroom ou o Photoshop.

Confira algumas dicas para utilizar a regra dos terços

A maneira mais fácil e efetiva de memorizar a regra dos terços é observar uma imagem e imaginá-la como sendo uma fotografia. Utilize mentalmente a regra dos terços para conseguir aplicá-la quando chegar a hora. Você pode fazer isso a qualquer momento!

Quando fotografar horizontes, a dica é manter um terço da imagem com um assunto, e os demais em outro. Quando o céu for mais chamativo, por exemplo, você deve priorizar a imagem do céu. Outra dica é sempre seguir a direção do olhar.

Ao fotografar pessoas, a sugestão é posicionar os olhos delas nos pontos de interesse, aqueles entre as linhas que já comentamos anteriormente. Desse jeito, a imagem ficará muito mais atrativa.

Já para fotos de pessoas que não sejam em plano fechado (que mostre também a paisagem ou todo o ambiente), a dica é fazer a composição com um dos pontos superiores.

Para finalizar: por mais incrível que pareça, a regra dos três terços não precisa ser utilizada em todos os seus registros. Há muitas outras formas de encontrar a melhor composição para a sua imagem, seja através de técnicas ou edições. Estude e pesquise sobre composição fotográfica e você vai amar se aprofundar sobre esse tema para tirar vários cliques incríveis.

Aproveite que está por aqui e leia também este post com dicas para trabalhar com fotografia. Até a próxima!

Instrumentos musicais por dentro: confira a série do fotógrafo Adrian Borda

A forma dos instrumentos musicais já é algo que inspira. Mas, você já pensou em conferir como esses objetos são por dentro? Apesar de não ter nenhum talento musical, o romeno Adrian Borda sempre teve essa curiosidade. A partir de uma campanha publicitária da Orquestra Filarmônica de Berlim, o artista teve a ideia de expor o interior de violinos, violões e saxofones, unindo fotografia e música em uma série de fotos belíssimas e inusitadas.

Borda vive na cidade romena de Reghin, no Leste Europeu, conhecida mundialmente pela sua produção de violinos profissionais. A música inspira outros trabalhos do fotógrafo em ilustrações e os instrumentos de corda são referências constantes nas suas obras. Ao primeiro olhar, parece até que os registros foram feitos no interior de um templo abandonado, o que demonstra a originalidade do trabalho realizado.

Os instrumentos usados como “modelos” para as fotos foram disponibilizados por um amigo de Borda, que é luthier (profissional responsável pela fabricação e conserto de instrumentos de cordas), e estavam precisando de reparos. Por essa razão, o artista não teve muitos problemas para ter acesso ao seu interior. As câmeras usadas por Borda são de dois modelos diferentes da Sony: A7 e NEX-6, combinadas com uma lente olho de peixe 8mm.

Algo que chama a atenção na série de fotografias é a precisão com que os raios de luz foram captados. Os flashes profissionais não foram utilizados. O fotógrafo conta que como estava viajando não podia fazer o transporte do equipamento. Ele acabou utilizando a lâmpada que estava no local e mudou os instrumentos constantemente de posição até encontrar a luz mais adequada.

Violoncelo por dentro.
Fonte: DevianArt Adrian Borda

O violoncelo fotografado para a série (foto acima) tem uma curiosidade: foi fabricado na era Napoleônica, no início do século XIX. As fotos foram produzidas na cidade de Amiens, na França, por uma câmera full-frame (em que todo o espaço do sensor é utilizado), usando um smartphone como controle remoto – o que, de acordo com o fotógrafo, facilita a visualização das imagens.

No perfil do artista no site DevianArt é possível conferir outros objetos fotografados a partir de perspectivas fora do comum, como máquinas de escrever e aparelhos de rádio, além de pinturas a óleo, ilustrações e reproduções de obras consagradas. Em

entrevista para veículos especializados, Borda já afirmou que a série deve continuar, com foco no que é inusitado.

Violino por dentro.
Fonte: DevianArt Adrian Borda

Esperamos que o trabalho do fotógrafo Adrian Borda inspire você a fazer registros inovadores. Aproveite para resgatar algumas dicas que já trouxemos aqui no blog como, por exemplo, esse post que ensina Como tirar fotos boas em viagens. E, se você curtiu as fotos que a equipe do FotoRegistro selecionou, compartilhe o conteúdo com os amigos nas suas redes! Até o próximo post.

Como montar um portfólio de fotografia

Um bom fotógrafo profissional é identificado pela qualidade e variedade do seu portfólio fotográfico. Para quem está começando agora nesse mercado, a criação do portfólio é um dos passos mais importante para conseguir os seus primeiros clientes.

Está em dúvida sobre como fazer isso? Fique tranquilo: nós, do FotoRegistro, separamos 5 dicas para ajudar você a montar um bom portfólio de fotografia. Vamos lá?

1. Utilize somente as melhores imagens no seu portfólio

Para montar um portfólio, uma dica crucial é fazer muitas fotos, muitas mesmo! E, mais do que isso, fazer um bom trabalho de seleção, garantindo que somente as melhores entrarão no seu portfólio. Pense se o tipo de fotografia que você está começando a fazer será visualizado melhor em ensaios completos ou em imagens individuais. O ideal é criar portfólios separados para cada estilo de fotografia ou segmentar bem os temas.

Montar um portfólio impresso de qualidade, mesmo com tantas opções virtuais, ainda é uma ótima forma de mostrar seu trabalho aos clientes. Por isso, escolha uma empresa especializada, como o FotoRegistro, para cuidar da impressão das suas fotografias e da produção de álbuns encadernados.

2. Crie um site com domínio próprio

Um site com domínio próprio faz muita diferença para um fotógrafo profissional. Existem alguns sites que permitem que você registre o domínio (exemplo: seunome.com.br) e configure seu espaço online. Custa apenas um pequeno valor que deve ser pago somente uma vez por ano! Confira, antes de realizar a compra, como integrar o domínio próprio na plataforma escolhida, pois alguns sites cobram para fazer essa integração.

3. Use as redes sociais

Os clientes estão nas redes sociais, portanto, é lá que você deve estar também. Use a abuse das redes sociais, principalmente Facebook, Instagram e Pinterest, para divulgar o seu trabalho e promover ações como sorteios e promoções de ensaios fotográficos. Mas importante: você precisa criar uma página/perfil da sua marca, desvinculando da sua conta pessoal. Isso passa mais credibilidade e profissionalismo!

4. Faça parte de plataformas virtuais

Fotógrafos profissionais precisam cada vez mais divulgar o seu trabalho para a maior quantidade de pessoas possível. Uma das nossas dicas é a utilização da plataforma Arcadina, que permite criar uma loja virtual dentro do seu site, onde você pode vender suas fotos, mostrar seu portfólio, criar promoções, etc. É possível fazer uma etapa de teste gratuitamente, sem compromisso.

Já a plataforma Wix oferece modelos específicos para quem trabalha com fotografia. Você pode criar um site de forma gratuita para mostrar os seus serviços, assim como criar lojas virtuais, embora não conte com uma área particular para cada projeto.

5. Prepare uma apresentação

Outra forma moderna de apresentar o seu trabalho para os clientes em potencial é preparar uma apresentação, que pode ser feita em mídias como o PowerPoint, Canvas, Prezi, etc. Para isso funcionar, é preciso levar sempre um tablet ou um notebook com você quando for conversar pessoalmente com as pessoas interessadas, ou ainda enviar a apresentação por e-mail.

Gostou de saber mais sobre as nossas dicas de como montar um portfólio de fotografia? Você também pode se interessar por este outro conteúdo que produzimos com 5 dicas para quem quer trabalhar com fotografia. Até a próxima!

Como tirar fotos na praia: 5 dicas

Se você é uma pessoa que gosta de praia, já deve estar fazendo altos planos para o verão. Quem não gosta de tirar férias ou simplesmente passar um dia na praia para aproveitar e aplacar o calor desta época do ano?

Pensando nisso, nós, do FotoRegistro, separamos 5 dicas para ajudar você a fazer um álbum de recordações repleto de boas fotografias de seus dias inesquecíveis na praia durante as férias ao lado de quem você ama. Vamos lá?

Por que fazer uma boa foto na praia?

Quando viajamos pelo litoral brasileiro somos convidados a conhecer uma grande variedade de praias incríveis, não é mesmo? Para quem gosta de descobrir e fotografar cenários paradisíacos, saber fotografar bem na praia é fundamental.

Claro que é muito melhor tirar fotos com um equipamento moderno, mas também dá para aproveitar ao máximo as utilidades do seu smartphone. O uso da criatividade é a melhor dica para essa tarefa, que deve valorizar os cenários praianos de uma forma mais inspiradora.

Confira 5 dicas para conseguir tirar boas fotos na praia:

1. Faça fotos do nascer e do pôr do sol

Você tem que aproveitar os melhores períodos de sol para fotografar em lugares ao ar livre, principalmente na praia. As primeiras horas do dia é um desses períodos especiais.

Nesta hora, o sol está mais ameno e não causará contrastes indesejados como ao meio-dia. Além disso, é o melhor horário para fotografar bebês, crianças e pessoas já que o sol tende a ser muito mais quente depois das 10 horas da manhã.

Outro período indicado para sessões de fotos na praia é no final da tarde, com menos intensidade dos raios solares. E você também terá a oportunidade de registrar um belo pôr do sol!

2. Fotografe pessoas e o horizonte

As pessoas não precisam aparecer inteiras nas imagens. A dica aqui é não cobrir toda a paisagem. Tente sempre capturar o horizonte quando for clicar alguém na praia para conseguir uma fotografia mais natural. O horizonte pode integrar a foto como o fundo na imagem, com o foco central na pessoa.

3. Fazendo bom uso do zoom

O zoom é uma maravilha tecnológica para tirar fotos ao ar livre, principalmente em produções mais criativas. Mas, cuidado ao usá-lo para aproximar demasiadamente objetos e pessoas para não correr o risco de fazer imagens sem nitidez.

4. Cuidado para não molhar a sua câmera na água

Muito cuidado para não molhar a sua câmera na água. Mas, se não quiser arriscar, há excelentes opções de câmeras digitais à prova d’água, como a Nikon, a Canon, a Sony ou a Sunfire que você pode adquirir. A maioria delas oferece design à prova d’água em até 10 metros de profundidade.

5. Leia o manual

Você pode não achar esse item fundamental, mas todos os fotógrafos (até os profissionais) deveriam ler o manual de instruções ao comprar uma câmera fotográfica ou da câmera do seu aparelho smartphone. O manual apresenta recomendações específicas de uso sobre o modelo de sua câmera e ensina o funcionamento de suas funções.

Gostou de saber como tirar fotos na praia? Fizemos um conteúdo muito bacana sobre Câmera Fotográfica e seus Cuidados Especiais. Dê uma olhadinha por lá, talvez seja bem útil para a sua viagem! Até o próximo post e boas fotos!

Fotos profissionais com o celular é possível?

Não são só de selfies que sobrevive uma câmera de celular. Com smartphones cada vez mais potentes e com alta performance para captar momentos, muitos fotógrafos profissionais começaram a repensar o uso de seus equipamentos de primeira linha para adotar ensaios fotográficos com seus celulares. Isso é uma revolução na forma de tirar fotos e você pode fazer parte dela com um pouco de conhecimento.

Para fazer imagens de tirar o fôlego, você vai precisar de:

  • Equipamentos para câmera mobile;
  • Luz adequada para as fotos;
  • Conhecimento;
  • Um cenário bem administrado;
  • Um objeto para ser fotografado.

Mas não pense que é só isso! Agora vamos aprender algumas dicas para juntar todos estes ingredientes e criar uma fabulosa imagem. Prepare-se para publicar uma foto na internet que irá ganhar muitos likes! Siga lendo para descobrir os macetes de fotos profissionais com o celular.

Dica 1: Luz, cenário e objeto:

Fotografar nada mais é do que desenhar uma imagem usando a luz. Todo o aparelho está programado para deixar a luz entrar e a partir daí, formar imagens que podem ser mais claras, mais escuras, com contorno, sem contorno, etc. Ter o domínio da luz do ambiente irá ajudar seus cliques a terem resultados mais profissionais.

Por exemplo, se você for fotografar ao ar livre, fique sempre a favor da luz solar, nunca ao contrário. No caso de ambientes fechados, use e abuse de luzes brancas!

Uma dica: fique atento ao cenário! Em locais públicos, evite os elementos externos que possam interferir no seu click. Limpe os obstáculos e esteja preparado para fotografar. Em locais mais reservados, como um estúdio particular, faça a produção de tudo, prepare o fundo branco, brinque com luzes e outros elementos que podem valorizar o objeto a ser fotografado, até porque o objeto precisa ter destaque na imagem. Use a regra dos terços para harmonizar a posição e que ele aparece no quadrante da imagem.

Dica 2: Saiba usar os recursos que o smartphone oferece

Controle do brilho, do contraste, da exposição, fotos com flash, com contador regressivo ou com as linhas de enquadramento ativadas. Todas essas opções estão disponíveis nos smartphones mais simples e você deve ter conhecimento pleno destas ferramentas para conseguir aplicar nas suas fotografias.

Além disso, você pode optar por incluir recursos externos no seu aparelho, como lentes intercambiáveis, criadas especialmente para smartphones e tripés especiais para celular. Desta forma você consegue captar o melhor ângulo no melhor momento!

Pegue o manual do seu celular ou até mesmo procure no YouTube canais que ensinam a usar a câmera do seu modelo de smartphone e mergulhe em tutoriais que mostram todos os recursos do aparelho. Ter esse conhecimento pode salvar você em situações diferentes, como um dia nublado ou um ensaio fotográfico dentro de ambientes fechados e com baixa luminosidade.

Dica 3: Tratamento de imagens é necessário!

Milhares de aplicativos para edição de imagens surgem todos os dias e você tem o poder de escolher qual será o melhor app para ajudar com as suas necessidades de tratamento. Opte por aqueles em que você tem mais controle, como por exemplo:

  • Lightroom CC;
  • VSCO;
  • Photoshop;
  • Prisma foto editor;
  • FILMIC Pro.

Talvez você tenha interesse em saber dicas para se tornar um fotógrafo profissional, clique e saiba mais.

Estes aplicativos irão ajudar a dar outra vida a imagem, melhorando seu brilho, ajustando matrizes e contraste. Claro, todos eles oferecem filtros especiais para adicionar as suas fotos, você pode usar eles mas antes, lembre de padronizar os elementos básicos da imagem que são a forma como o tratamento das cores primárias são feiras. Dessa forma, todos os filtros aplicados irão parecer uniformes.

Preparado para se tornar o fotógrafo profissional usando apenas o celular? Torne-se um craque das fotos de smartphone, invista em um equipamento para aumentar a resolução das fotos para profissionalizar o seu negócio, afinal, uma câmera profissional é importante. Depois, conte para a gente os resultados dos seus ensaios!

Esperamos que você tenha gostado do nosso conteúdo de hoje! Confira outros post sobre fotos e outras curiosidades relacionada. Vejos você lá! Até breve!

Ensaio fotográfico: conheça 4 tipos!

Se você está procurando por dicas de ensaios fotográficos para atrair novos clientes para o seu trabalho de fotografia, veio ao lugar certo! Confira quatro dicas que nós, do FotoRegistro, separamos para inspirar você. Vamos lá?

1 – Ensaio antes do casamento

Muitos casais estão aderindo ao ensaio antes do casamento para ter uma bela recordação deste grande dia, sem toda aquela agitação do dia da cerimônia. A noiva costuma usar um vestido branco mais simples do que o escolhido para o dia do casamento e o noivo com o mesmo terno do dia (ou até outro também). Isso fica a critério do casal.

O lugar escolhido, geralmente, costuma ser uma praia ou outro lugar bem arborizado, com muita natureza ao redor, como o jardim botânico da cidade, um parque natural ou até um hotel.
O ideal é marcar com uma antecedência de dois meses o ensaio, pois a ajuda do clima e de uma boa luz será fundamental. Mas tudo depende da combinação entre você e os clientes na hora da contratação do serviço.

2 – Ensaio sensual

Também chamado de boudoir, o ensaio sensual tem feito cada vez mais sucesso entre as mulheres. O objetivo aqui é elevar a auto-estima e mostrar que cada pessoa tem a sua beleza única!

É importante destacar que em um ensaio sensual não há fotos de nudez, apenas algumas posições mais ousadas ou mais delicadas, de acordo com o gosto da cliente.

O ensaio geralmente é realizado em um estúdio do fotógrafo, mas também pode ser feito na casa da própria cliente, para que ela se sinta mais confortável de ser fotografada por você.
O ideal é selecionar com antecedência as peças de roupa e cenários que serão utilizadas durante a sessão de fotos e separar de 4 a 5 horas para fazer toda a produção.

3 – Newborn

Um dos ensaios fotográficos mais procurados! O ideal é fazê-lo quando o bebê estiver com até um mês de vida. O ensaio costuma demorar de 3 a 5 horas para acontecer, com direito a paradas para a amamentação e trocas de fraldas.

Para trabalhar com recém-nascidos é necessário de muitos cuidados especiais, claro! Por isso, o estúdio é o lugar mais indicado. Para realizar esse ensaio fotográfico, você deve oferecer um ambiente com a temperatura mantida entre 27 e 30º, umidade acima de 50%, além de mãos e materiais sempre limpos e higienizados.

Uma boa dica é colocar o som de um coração batendo para o bebê se sentir o mais confortável possível.

4 – Smash the cake

Um dos ensaios mais fofos e engraçados de se ver! É importante lembrar que as crianças só podem fazer o ensaio de “esmaga o bolo” a partir de 1 ano de idade, por causa da quantidade de açúcar contida nos pedaços de bolo que elas irão comer durante o ensaio.

O mais legal é enfeitar o espaço com peças e objetos do tema do ensaio. É bom lembrar às mães que as roupas dos bebês devem ser as mais leves e confortáveis possíveis.

Uma dica é oferecer o bolo para a criança pela primeira vez na hora do ensaio para aproveitar as caras mais divertidas e inusitadas! E deixe a lambança correr solta!

Saiba mais sobre o delicioso ensaio Smash the Cake!

Gostou de saber mais sobre ensaios fotográficos? Comente o que achou do texto e envie as suas dúvidas nos comentários. Até a próxima!

Como tirar boas fotos em viagens?

Não importa o destino, viajar é sempre uma experiência incrível! E registrar esses momentos para deixá-los eternizados faz parte dessa deliciosa aventura. Mas você sabe como tirar boas fotos em viagens? Se não sabe, estamos aqui para isso! Confira as 6 dicas que nós, do FotoRegistro, separamos para te ajudar a fazer um álbum de recordações repleto de ótimas fotografias de suas viagens. Vamos lá?

Por que aprender a fazer boas fotos?

Quando viajamos conhecemos muitos cenários incríveis, que enchem os nossos olhos e aquecem os nossos corações. Para quem gosta de fotografias, viajar é um prato cheio para tirar muitas (e boas) fotos!

Aprendendo como tirar boas fotos em viagens, você poderá tirar maior proveito das vantagens de um equipamento moderno e do próprio ambiente, fotografando com uma qualidade muito maior. O uso da criatividade é outro ponto-chave nesta tarefa, que deve valorizar os cenários de uma forma mais inspiradora. Confira abaixo alguma dicas importantes!

6 dicas para fazer fotos melhores nas suas viagens

1 – Aproveite os dias ensolarados

Você já deve saber que dias de sol deixam as imagens muito mais bonitas. Não que seja impossível fazer imagens bacanas em dias fechados ou de chuva, mas é muito mais complicado fazer isso ao ar livre. Prefira fotografar até 11h e depois das 13h para evitar a presença de sombras.

2 – Siga as linhas

Fotografias que seguem linhas são mais agradáveis de ver. Por isso, aproveite a linha do horizonte em fotos ao ar livre e verifique se ela está reta. Se for fotografar um objeto ou pessoa, garanta que ela esteja realmente no meio da imagem. Caso queira fotografar um ponto turístico, faça o teste de tirar três fotos diferentes do mesmo ponto: na horizontal, vertical e diagonal para comparar e decidir qual imagem ficou melhor.

3 – Fotografando pessoas

As pessoas não precisam aparecer inteiras na imagem. Tente se aproximar o máximo possível delas para conseguir um destaque junto ao cenário, e não no lugar deste. A dica é não cobrir toda a paisagem ou ponto turístico, ok?

Lembre-se que a pessoa neste momento é apenas parte da foto, não o foco central. A melhor dica é fotografá-la da cintura para cima!

4 – Cuidado com o flash

Se você não sabe usar corretamente o flash, não use. Foto com flash deve ser utilizado com grande efeito. Em caso de dúvidas, utilize o modelo automático de flash ou fotografe em lugares ao ar livre em dias ensolarados.

5 – Fazendo bom uso do zoom

O zoom é uma mão na roda para fotos em viagens. Mas, se usá-lo de forma simples e rápida para aproximar objetos e pessoas, poderá compor imagens diferenciadas. Escolha comprar câmeras que têm maior amplitude de zoom. Cuidado para não dar dez vezes zoom na sua câmera digital para não estragar a qualidade das suas fotos de viagem.

6 – Leia o manual da câmera

Você pode não achar importante, mas todos deveriam ler o manual de instruções ao comprar qualquer produto, principalmente uma câmera fotográfica. Esse material dá dicas específicas de uso sobre o modelo de sua câmera e ensina o funcionamento de seus recursos.

Gostou de saber como tirar boas fotos em viagens? Comente o que achou do texto e compartilhe as nossas dicas com os seus amigos. Boas fotos e até a próxima!

Como reproduzir o efeito Polaroid em suas fotos

Uma das câmeras mais conhecidas no mundo, a Polaroid é uma referência quando falamos sobre máquinas fotográficas por causa da sua imagem pouco saturada e, claro, por revelar a imagem imediatamente ao clicar!

Por causa disso, a máquina fez sucesso mundialmente. Mesmo quem não viveu o seu auge tenta reproduzir o mesmo efeito nas fotografias atuais, principalmente quem é fã de compartilhar as suas fotos nas redes sociais.

Mas, você sabe reproduzir o efeito polaroid em suas fotos? Se não sabe, estamos aqui para ajudar! Antes de resolvermos a sua dúvida, nós, do FotoRegistro, vamos contar um pouco sobre a história dessa máquina fotográfica famosa e dar dicas de aplicativos para o celular que imitam o efeito Polaroid. Confira!

História da Polaroid

Criada em 1948, por Edwin H. Land, a Polaroid desbancou outras máquinas que existiam no mercado. Chamada de câmera instantânea, a Polaroid Corporation, empresa que possuía a patente para a fabricação do produto, inovou com a proposta de inclusão dos produtos químicos de revelação dentro do próprio filme fotográfico.

Até 1963, as imagens que a câmera produzia eram somente em preto e branco. Contudo, com o lançamento do filme instantâneo colorido no mesmo ano, as vendas da máquina fotográfica bateram recordes nunca antes vistos pela empresa.

A câmera instantânea passou por diversos ajustes e modificações positivas com o passar dos anos, mas a chegada das câmeras digitais ultrapassou as vendas da Polaroid, fazendo com que ela deixasse de ser fabricada em 2008.

Aplicativos de efeito Polaroid

Para dar o efeito com baixa saturação de cores, pontos de desfoque e molduras em sua imagem, existem alguns aplicativos que podem dar aquela ajudinha para quem é fã desse estilo clássico. Confira!

Polamatic

Esse aplicativo é perfeito para quem tem iOS. Além de imitar o efeito nostálgico da Polaroid perfeitamente, você pode colocar legendas diretamente na moldura da imagem. A melhor parte: é possível contar com 12 opções diferentes de fontes! Incrível, não é mesmo?

Instant: Polaroid Instant Cam

Esse aplicativo é muito completo, já que imita desde o aspecto visual até os efeitos sonoros de uma câmera Polaroid. Com o Instant: Polaroid Instant Cam, você consegue trazer de volta a magia da câmera instantânea diretamente para as suas mãos e, claro, se divertir bastante ao bater as suas fotos!

Agora que você já sabe um pouco mais sobre essa máquina fotográfica histórica e também reproduzir o efeito dela em suas fotos, que tal compartilhar essas fotografias em suas redes sociais e receber muitas curtidas no seu feed?

Outra dica muito legal que nós, do FotoRegistro, damos é ter essas imagens memoráveis de forma impressa para decorar a sua casa, mesa de trabalho ou dar de presente para familiares e amigos!

Conte com o trabalho da Instapix para ter impresso as suas imagens! Por lá, você pode ter as suas fotos em canecas, imãs de geladeira e até mesmo porta-copos. Revele os seus cliques direto do Instagram. Você vai amar! Até mais!

Máquina fotográfica analógica: como funciona?

Para os apaixonados por imagens, o uso da câmera fotográfica analógica é uma maneira de interagir com a história da fotografia, além de ter em mãos um objeto que representa um marco para a humanidade.

Mas afinal, como uma máquina fotográfica analógica funciona? Para você, que deseja saber mais sobre esse assunto nostálgico, fizemos um texto contando um pouco mais sobre a história e como a câmera funciona na prática. Confira!

História das máquinas fotográficas

Inventada no início do século XIX, as máquinas fotográficas analógicas aplicavam uma técnica para criar imagens através de uma exposição de luz em um filme fotossensível. A imagem mais antiga é datada de 1826, onde Joseph Nicéphore Niépce capturou um trecho da França através de sua câmera.

Claro que muitas pessoas passaram a entender mais sobre o processo de captura de imagens e não demorou muito para as primeiras máquinas portáteis aparecerem. Em 1880, George Eastman, fundador da marca Kodak, começou a produzir esses aparelhos em massa.

Contudo, foi somente em 1990 que as primeiras fotografias digitais apareceram no mercado, o que gerou uma revolução para os amantes do hobby. Esse fato fez com que as máquinas analógicas perdessem força, já que era possível ter acesso a fotos de uma maneira mais rápida e instantânea do que as câmeras analógicas.

Mas vale citar que uma tecnologia não substitui a outra! Hoje em dia, os dois processos de captura de imagens coexistem, sendo uma preferência muito particular de cada usuário. Ou seja, há quem preza pela praticidade e quem prefira a nostalgia de revelar a imagem! Interessante, não é mesmo?

O funcionamento da câmera analógica

O funcionamento da câmera analógica pode parecer fácil para quem é somente usuário da máquina. Contudo, o seu processo de captura de imagem é mais complexo do que podemos imaginar.

A parte mecânica funciona da seguinte maneira: ao apertar o botão para bater uma foto na câmera, a obturação se abre e a luz do ambiente percorre um caminho interno no corpo da câmera até alcançar o filme fotossensível.

Esse caminho interno contém diversos elementos que contribuem para termos a imagem do jeito que conhecemos, como, por exemplo: a objetiva, que é um conjunto de lentes que orienta os raios luminosos até a película, e o diafragma, que controla a quantidade de luz que passa por ali.

Filme fotográfico

Já sobre os filmes fotográficos, eles são feitos à base de plástico, contendo uma fina camada de cristais de prata, muito sensíveis à luz. Essa é uma tecnologia chamada de ISO, que facilita a captação da imagem. Quanto menor for o seu número, mais sensível é o filme, o que melhora a qualidade da imagem.

Geralmente, os filmes possuem diversos tamanhos. Porém, o mais comum no mercado é o de 35 mm. E a variação das exposições costuma ser entre 12, 24 ou 36 fotos, que pode ser batida pelo fotógrafo.

Gostou do nosso texto sobre como funciona a máquina fotográfica analógica? Se você adora usar câmeras para bater as suas fotos, não deixe de conhecer o nosso conteúdo sobre Lomografia: a nostalgia das câmeras analógicas! Confira e nos diga o que achou. Até mais!

Lomografia: a nostalgia das câmeras analógicas

Para quem ama cores vibrantes e saturadas em suas fotos, a lomografia é uma tendência que está invadindo as fotografias das redes sociais por causa da sua beleza e intensidade incomum nas imagens.

Inicialmente, a Lomo, uma máquina analógica fabricada na Rússia durante os anos oitenta, era a única maneira de conseguir fazer esse efeito nas imagens. Contudo, com o avanço da tecnologia em tratamento de imagens, principalmente com a chegada da rede social de imagens, o Instagram, ficou muito mais fácil de reproduzir digitalmente esse efeito.

Quer saber mais sobre a lomografia? Então continue lendo, pois, abaixo, preparamos um texto destacando essa técnica e como ela continua conquistando os amantes de fotografia!

A estética da lomografia

Como já dissemos, antigamente a captura da fotografia com esse efeito era feita através de uma máquina analógica muito sensível à luminosidade, deixando a imagem mais nítida, mesmo sem o auxílio do flash.

A imagem fica mais saturada e vibrante, com grandes destaques para as cores aditivas, o famoso RGB, onde as beiradas da imagem se comportam diferente do resto da imagem, ficando mais escuras. Esse visual é o que dá todo o charme e excentricidade para as fotografias estilo lomo.

Por causa dessa câmera, criou-se um movimento fotográfico, onde as imagens acabaram ficando mais despojadas sem utilização de enquadramento ou tipo de captura. Deixando as fotografias muito mais livres, a utilização dessa máquina invadiu o mundo inteiro e está presente até hoje entre os amantes de diversão durante o ato de fotografar.

Ferramentas que contam com a lomo

Justamente por causa da nostalgia de usar essa máquina fotográfica, muitas câmeras digitais que são fabricadas na atualidade acabaram inserindo esse modo de efeito em suas configurações, assim como sépia e preto e branco, por exemplo.

Outra maneira de conseguir usar esse efeito em suas fotografias é através de filtros de redes sociais. O Instagram, por exemplo, consegue chegar mais próximo da qualidade que a máquina fotográfica original faz.

Não gosta de filtros? Tudo bem! Se você quer fazer parte do movimento fotográfico lomo da maneira tradicional ainda é possível. Basta adquirir sua máquina e usar para fotografar tudo o que você imagina!

Agora que você já sabe tudo sobre a lomografia, que tal descobrir se você é fã do efeito tradicional da câmera Lomo ou se você prefere os filtros das redes sociais? Comente para a gente saber qual a sua opinião! Até mais!